17/10/09

17 OUTUBRO, 22H - CAMILA BAKER


Loucomotiva
CAMILA BAKER
de Emílio Boechat

A lenda viva do teatro nacional, Camila de Sousa Baker, espalhou creme, magia, charme, loucura, talento, mau hálito e algumas moedas pelos palcos desse país. Hoje em dia, está louca e parece inofensivamente à espera do juízo (final) na sua velha e decrépita mansão. A sua velha e fiel criada, Dorothy, a sua irmã Virgínia Santos e o seu pequeno filho, Wolfgang, para além de se vestirem mal, são absurdamente misteriosos, mas coabitam em paz. Até ao dia em que uma visita inesperada os obriga a remexer uns nos outros, mas também num passado aparentemente enterrado no baú das memórias. As revelações sucedem-se a um ritmo mais frenético do que as próprias personagens parecem conseguir aguentar, restando a terrível inspiração musical da peça para que queiramos mesmo ver Camila Baker enterrada e, já agora, a peça terminada.

Sem comentários:

Enviar um comentário